Avançar para o conteúdo principal

"Eu cá nunca fiz Teatro!"


                                                       Image in http://flyingshoesstudio.blogspot.pt/

"Eu cá nunca fiz Teatro! Não tenho jeito para isso."

Isto é o que dizem muitas pessoas, não tendo noção na realidade, o quanto somos actores durante toda a nossa vida. Toda a vida nós passamos por momentos em que de uma maneira ou de outra nós somos actores e actrizes mesmo inconscientemente. Sempre que falamos, sorrimos, acenamos, beijamos alguém pela qual nós não nutrimos uma simpatia profunda, estamos a ser actores...


Definição de actor: "Sujeito que interpreta determinado papel ou guião, representando, ou incorporando certa personagem (...) Pessoa dissimulada ou fíngida."
 in/http://www.lexico.pt 

Um actor que estuda, se prepara para apresentar um peça de Teatro, defronta-se com mais ou menos dificuldades em criar a figura que lhe foi confiada. 
Como criar por exemplo uma personagem de um esquizofrénico? Pesquisa-se, tenta-se falar com alguém que o seja (se bem que não é fácil encontrar alguém que fale abertamente sobre este tipo de assuntos). 
Na minha opinião, todos nós que sejamos actores ou não, temos sempre um lado obscuro na nossa mente, capaz de criar personagens e atitudes que não se adequam à nossa verdadeira personalidade. 
Esse é o desafio do actor, fugirmos de nós e criar um outro alguém. O nosso eu está lá, mais que não seja em corpo físico. A nossa psico está lá, mas adormecida. Quantos de nós que passamos por este processo, ficou com algum tique ou mania de uma personagem? Provavelmente, muitos dos que já pisaram o palco. E esta acção quando é bem feita, é capaz de pôr a vibrar o mais descrente dos públicos.

Quem como eu já deixou para trás esta arte, se bem que estará sempre guardada no coração e sempre com uma secreta esperança de um dia... quem sabe um dia voltar a pisar o palco, fica sempre com o bichinho de como se faz Teatro entranhado em nós.

Comemorarei sempre este dia, assim como o dia em que pisei o palco pela primeira vez.

Viva o Teatro!


Por fim alguns pensamentos:

"Nosso oficio, falo do teatro, não nos deixa provas. A Posteridade não nos conhecerá. 
Quando um actor pára o acto teatral, nada fica. A não ser a memória de quem o viu. E mesmo essa memória tem vida curta." 
Fernanda Montenegro

"O teatro não se repete, apesar de ser sempre o mesmo. Cada representação é como estar diante de um novo personagem."

Beatriz Segall

"Aprendam a amar a arte em vocês mesmos, e não vocês mesmos na arte."

Constatin Stanislávski

Saudações Teatrais

Sandra C.




Comentários

Unknown disse…
Boa tarde. Li o seu blog com interesse. E suscitou-me várias dúvidas. Quem o escreve pertence ao grupo bandolinista da Idanha? Pergunto isso pelo facto de eu pertencer ao grupo de teatro do mesmo. Muito obrigada pela atenção. Célia B
Sandra Monteiro disse…
Olá Célia,
Antes de mais obrigado pelo interesse neste modesto blog...
E não pertenço actualmente mas já pertenci ao Grupo, sai em 2008.
Se perguntar pela Sandra Cabaços, com certeza que tanto o Tó Zé como o António Coelho sabe quem sou...
Se alguma vez quiser falar comigo pessoalmente, podemos sempre falar via Facebook.
Com os melhores cumprimentos
Sandra Monteiro

Mensagens populares deste blogue

Peça de Natal "Os Espíritos de Natal"

Faltando menos de três meses para o Natal, começa a procura de textos, versos, canções para a quadra natalícia. Num outro blog que tenho http://bluestrassbychristmas.blogspot.pt, tenho lá um texto escrito por mim. Ao fazer a pesquisa no Google por "Peça de Teatro de Natal" congratulo-me de dizer que a minha página é a segunda mais procurada. Logo achei por bem, colocar aqui também a dita peça, uma vez que este cantinho trata de partilha de opiniões, de textos teatrais.
Este ano não é excepção, a dita peça vai estar disponível em ambos os blogs, sem que qualquer grupo ou particular tenha que pagar direitos de autor. Esta é a minha única peça colocada na íntegra na Internet.
Podem usá-la, apenas agradecia um email para sandra.cabacos@gmail.com ou deixando um comentário aqui, com indicações de que a vão fazer... não é pedir muito, pois não?? Também não vale a pena virem comentar que a história não é original, que as canções não são minhas, a minha única resposta será que escrev…

Poema sobre o actor e o Teatro...

Vi este poema no blog da minha amigaSónia http://www.sombrasminhas.blogger.com.br/ , como gostei muito, tomei a liberdade de o publicar aqui...

Poema acto III "O actor acende a boca. Depois os cabelos. Finge as suas caras nas poças interiores. O actor põe e tira a cabeça de búfalo. De veado. De rinoceronte. Põe flores nos cornos. Ninguém ama tão desalmadamente como o actor. O actor acende os pés e as mãos. Fala devagar. Parece que se difunde aos bocados. Bocado estrela. Bocado janela para fora Outro bocado gruta para dentro. O actor toma as coisas para deitar fogo ao pequeno talento humano. O actor estala como sal queimado.
O que rutila, o que arde destacadamente na noite, é o actor, com uma voz pura monotonamente batida pela solidão universal. O espantoso actor que tira e coloca e retira o adjectivo da coisa, a subtileza da forma, e precipita a verdade. De um lado extrai a maçã com sua divagação de maçã. Fabrica peixes mergulhados na própria labareda de peixes. Porque o actor está co…