quarta-feira, 9 de maio de 2007

Liberdade de Expressão

Este texto foi o que abriu o espectáculo de dia 24 de Abril .

Liberdade de Expressão, shhh, não se diz... não se fala...não se quer saber, agora tens de engolir a errata serpenteada a azul e adormecer na ignorância.
Os Deuses abandonaram-te á tua pouca sorte, atraíram-te para um encontro.

Para as escuras catacumbas, onde vês ao fundo a luz do anjo que te veio purificar, mente santa e salvadora mas também depravada.

Senhor de bons costumes e hábitos puros, sabiamente manipula as vontades do povo com promessas de pão e alegria.
Habilmente, em contra mão lá vamos nós, lá vai um país encantado.
Lá vamos rindo das nossas desgraças, por entre franjas e bigodes, vendo a cada dia que passa, a nação a ser dizimada numa batalha inglória.
As lágrimas que derramas em vão, enchem as margens de um rio podre que já nada mais dá, se não dejectos negros da nossa vergonha.
Sandra Cabaços

Sem comentários: